18 de jan de 2023

O que é adubo orgânico, quais os benefícios e como você pode usá-lo?

Pensando em adotar adubo orgânico em sua propriedade? Saiba que essa forma natural de fertilizar a terra faz sucesso em muitos cultivos. A adubação orgânica é a opção mais evidente para quem está cansado dos fertilizantes químicos e quer apostar em algo mais sustentável.

Adubar a terra de forma natural não é atividade humana recente, pois este benefício foi descoberto há mais de 2000 anos, por nossos ancestrais cultivadores do solo. Nesta época remota, plantadores chineses já adubavam o solo com ossos calcinados. Descobria-se então, uma das melhores alternativas para enriquecer o solo de nutrientes e elevar a obtenção de resultados com o plantio. 

Sem dúvidas, há muitas vantagens em adotar a forma orgânica. E aqui vamos conversar sobre todas as possibilidades. Neste post você também vai tirar dúvidas sobre a composição, serventia e modo de fazer o adubo orgânico e descobrirá se há diferença entre fertilizante e adubo.

Também verá o quão simples pode ser possuir uma plantação rica, nutritiva e produtiva, sem aditivos químicos pesados sendo despejados no lençol freático. E aí, está pronto para entender de vez o que é adubo orgânico e conhecer seus benefícios?

O que é adubo orgânico?

O que é adubo orgânico?

Adubo orgânico é uma substância natural, composta por resíduos vegetais e animais, que estão passando pelo estágio de decomposição espontânea. Seu preparo é feito de modo simples através de um método denominado compostagem. 

Na compostagem são utilizados resíduos orgânicos como cascas de vegetais, bagaços, folhas, esterco animal, folhas, caules, frutas apodrecidas, ossos e restos de alimentos.

Por que usar adubo orgânico?

Algumas pessoas relutam em utilizar o adubo orgânico por duvidarem de sua eficiência e porque acham sua elaboração um tanto trabalhosa. Porém, o que elas não sabem é que se trata de um excelente fertilizante para o solo. Ele traz às plantas muitos nutrientes essenciais para o seu crescimento. Além disso, é a estratégia mais barata para o agricultor.

Outro aspecto que limita a adoção deste adubo natural é o desconhecimento de sua principal finalidade. O objetivo de utilizá-lo é enriquecer o solo, devolvendo-lhe os nutrientes necessários para as futuras plantações, preservando o equilíbrio ecológico.  

Outro forte motivo para usar o adubo orgânico é por ser rico em nitrogênio, fósforo e potássio, elementos que asseguram a boa fertilização do solo e a otimização das plantações. 

Além disso, um outro aspecto apontado como positivo é o fato de possibilitar o cultivo de produtos orgânicos, tratados sem agrotóxicos e sem aditivos químicos. No entanto, nem de longe os benefícios são somente estes. Há muitas outras vantagens, e você pode conferir as principais, no tópico abaixo.

Vantagens e efeitos

As vantagens do adubo orgânico começam com a preservação dos ecossistemas presentes no solo. Os efeitos deste tipo de adubação promovem aumento da diversidade de organismos vivos do solo, habitat destes pequenos seres. Eles formam populações e favorecem o terreno otimizando a fertilidade da terra, que fica especialmente preparada para o plantio. 

Entre estes organismos que habitam o solo e participam desta fertilização estão as minhocas, besourinhos, fungos e bactérias que equilibram este meio. A utilização dessa forma de adubação natural favorece o crescimento desses bichinhos do bem.

Mas, há outras vantagens como:

  • Potencialização da produtividade do solo;
  • Otimiza a disponibilidade de nutrientes capazes de liberar nitrogênio, potássio e fósforo;
  • Melhora o cultivo fertilizando a terra e aumentando a produção agrícola;
  • Não causa prejuízo aos lençóis d'água;
  • Contribui para o cultivo de produtos orgânicos, livres de agrotóxicos;
  • É um método sustentável que ajuda a preservar o ciclo normal da natureza.

Diferença entre adubo e fertilizante

Diferença entre adubo e fertilizante

Adubo e fertilizante têm a mesma finalidade, ou seja, são compostos desenvolvidos para nutrir o solo e as plantas. Ambos são usados com um mesmo objetivo que é favorecer as plantações e cultivos agrícolas. Apesar de serem semelhantes na funcionalidade, possuem características que os fazem diferentes. Confira as diferenças:

O adubo orgânico é muitas vezes chamado de fertilizante orgânico. Ele é feito a partir de matéria animal ou vegetal, sendo elaborado por meio de compostagem, que é um método, onde resíduos biológicos (animal ou vegetal) vão sendo sobrepostos, até que a degradação microbiológica forme uma massa cheia de nutrientes benéficos para as plantas.

Os fertilizantes, por sua vez, são compostos químicos produzidos pelas indústrias, não são elaborados naturalmente, pois são fabricados a partir da extração de minerais ou do refino do petróleo. Eles são também chamados de fertilizantes químicos ou adubos inorgânicos.

Além da diferença na elaboração, existem outras características que os fazem diferentes. Acompanhe na tabela explicativa.

Adubo Orgânico ou Fertilizante orgânicoFertilizante químico ou adubo inorgânico
Como é feito?Elaborado naturalmente por meio de compostagem.Fabricado pela indústria.
Matéria-prima:Resíduos orgânicosMinerais e elementos resultantes do refino do petróleo.
Ação / efeito:Age vagarosamente, aguardando a decomposição natural dos resíduos. Sua atuação maior é sobre o solo, tornando-o fértil e preparando para nutrir a plantação.Esta mistura de nutrientes age com maior rapidez, pois, já está pronta para atuar imediatamente sobre a plantação. 
UsoGeralmente são mais usados em pequenas plantações, hortas e jardins, vasos de plantas, etcResponsável por grande parte da produção agrícola mundial. É utilizado em grandes plantações e cultivos, mas também pode ser utilizado em pequenas plantações e pastagens.
Efeito sobre o meio ambienteMenor risco de contaminação do solo e água.Quando usado de forma inadequada e sem limites, pode alterar a composição do solo e contaminar recursos hídricos, causando eutrofização em lagos e rios. Ou podem levar metais pesados para fontes de água.

Tipos de adubo

Agora já deu para entender o que é adubo orgânico, não é? Você já viu que é feito com resíduos biológicos, que esperam a ação da natureza para se tornarem compostos de adubação. O que atua sobre os restos sobrepostos é o ambiente e o tempo e estes vão fazendo acontecer a decomposição natural.

Mas, ainda temos muita coisa para te contar, inclusive que existem vários tipos de adubo orgânico. 

Húmus de Minhoca

Este é um adubo produzido pelas minhocas. É a massa que resulta do que foi digerido pelas minhocas. Na verdade, trata-se das fezes destes anelídeos, sendo por isso, mais difícil de ser produzido na propriedade, mas pode ser facilmente adquirido em lojas especializadas em agricultura. 

Caso, o agricultor queira produzi-lo precisará implantar um minhocário.  O húmus de minhoca é super nutritivo, possuindo também hormônios benéficos para as plantas.

NPK

NPK é a sigla de Nitrogênio + Fósforo + Potássio é um adubo orgânico que fornece à planta estes macronutrientes. A finalidade principal do NPK é o desenvolvimento da planta, sendo assim, com seu uso o crescimento será muito mais rápido. Cada um desses nutrientes tem uma elevada importância para a planta. Observe sua atuação:

  • O nitrogênio responde pelo crescimento e pelo fortalecimento das várias partes da planta. Desse modo, caule, raiz, flores e folhas são favorecidos.
  • Fósforo - Potencializa a fotossíntese. Atua na raiz elevando o potencial de absorção de nutrientes. Auxilia a ocorrência de flores e frutos.
  • O Potássio fortalece os tecidos da planta tornando-a mais resistente a pragas e a desidratação em tempos muito secos. Ele consegue equilibrar o potencial hídrico da célula vegetal, evitando a perda excessiva de água.

Farinha de ossos

A farinha de ossos é um tipo de adubo orgânico que tem excelente efeito sobre as plantas. Ela é rica em cálcio e fósforo e, assim como qualquer outro adubo natural, também pode ser produzida em casa, pelo próprio agricultor. 

Para elaborá-la é preciso juntar ossos de aves e mamíferos, que você consome no dia a dia. Congele-os para evitar apodrecimento. Assim que tiver boa quantidade será preciso fazer uma pequena fogueira com um pouco de madeira, para dar início à combustão. 

Queime-os até a calcinação, ou seja, até a queima total dos ossos. Isso eliminará a parte proteica deixando apenas a parte mineral, que é o que adubará sua plantação. Porém, você também pode comprá-la prontinha em qualquer loja para agricultor.  

Esterco

O esterco é o adubo orgânico mais acessível dentre todos. É fácil de ser coletado, principalmente por quem tem sua plantação em propriedade rural. O esterco também chamado de estrume são fezes de animais.

Estas contêm celulose + água e nutrientes como nitrogênio e fósforo. Portanto, são excelentes fertilizantes orgânicos. Também pode ser comprado pronto para uso, bastando misturá-lo à terra de plantio. 

O esterco bovino é muito utilizado devido à quantidade de fibras, que otimiza a retenção de água e pelos macros e micronutrientes que carrega. No entanto, o esterco de ovinos resulta em excelente produtividade, pelo alto teor de nitrogênio e potássio, elementos que se apresentam em concentrações maiores do que no esterco bovino, conforme mostra tabela da Embrapa.

Adubo orgânico peletizado

O adubo orgânico peletizado é resultado de um processo chamado peletização. Neste, a biomassa orgânica, que é a matéria-prima animal e vegetal, passa por um maquinário chamado peletizadora, que transforma a matéria original em pellets, ou seja, em adubo granulado. 

Assim transformado, o adubo ou fertilizante orgânico torna-se fácil de ser transportado, armazenado e estocado, guardando em si todos os nutrientes originais. Você pode encontrar adubo peletizado de qualidade, sem esforço, acessando a agro2business, marketplace que atua para favorecer a vida do agricultor. 

Adubo mineral

O adubo mineral não é feito por meio de compostagem, eles são constituídos de elementos minerais. Eles também conseguem ajudar a agricultura fornecendo às plantas nutrientes essenciais como nitrogênio, fósforo e potássio.

Diferença do adubo orgânico e adubo mineral

 O adubo mineral é produzido quimicamente, quer dizer por meio de técnicas industriais ou é extraído de fontes minerais. Possui alto teor de nitrogênio, fósforo e enxofre, que são elementos minerais de elevada importância para as plantações. Por isso, o adubo mineral é excelente para preservar a fertilidade da terra. 

Ele é diferente do adubo orgânico que só depende da compostagem para sua fabricação. Outra diferença entre os dois tipos é a velocidade de liberação dos nutrientes para as plantas. 

Esta liberação acontece muito mais rapidamente na aplicação do adubo mineral. Conforme já citado aqui, a ação que parte do adubo orgânico é lenta e gradual.  

Como é feito o adubo orgânico?

Como é feito o adubo orgânico?

O adubo orgânico pode ser feito pelo próprio produtor rural, ou melhor dizendo, pode ser elaborado por qualquer pessoa interessada em cultivo de plantas. Ele é produzido por meio de uma técnica chamada compostagem, sendo bem simples de fazer, porém, um tanto trabalhosa. 

Entenda a Compostagem

A compostagem é um método natural no qual resíduos biológicos, animal e vegetal, são transformados em adubo orgânico, também chamado húmus. Pode ser feita utilizando-se uma composteira, que é constituída de 3 caixas de plástico sobrepostas. 

As 2 caixas de cima, devem conter furos para dar passagem às minhocas que participam do processo.  As minhocas são responsáveis por auxiliar na fermentação e impedem que os restos fiquem cheirando mal.  

A parte inferior da segunda caixa deve ser vedada com uma tela. Isso permitirá que o chorume produzido pelo acúmulo de resíduos escorra, deixando na caixa superior apenas a massa orgânica.  

Sendo assim, na primeira caixa você vai depositando os restos orgânicos, que deve ir alternando com terra e palha até encher. A segunda caixa permanece vazia, apenas escoando o chorume para a terceira caixa. 

Quando a caixa superior estiver cheia troque de lugar com a segunda. Deixe toda a massa formada repousando até que se transforme em adubo. A última caixa serve para recolher o chorume, líquido que escoa dos restos orgânicos. 

Você pode comprar essas caixas, prontas para compostagem, chamadas composteiras, ou pode utilizar baldes domésticos que se encaixem um no outro.

Como escolher o melhor?

Existem inúmeros tipos de adubos, portanto, escolher o melhor nem sempre é muito fácil. Para isso, é preciso considerar certos aspectos importantes como os citados abaixo:  

  • O primeiro ponto é verificar seu tipo de lavoura ou plantação, pois é certo que há diferenças marcantes, entre adubar uma horta doméstica, um jardim de casa ou uma cultura anual, que paga as contas de seu sítio ou fazenda.
  • Outro aspecto a considerar é se o adubo possui boa concentração de nutrientes, adequados a seu tipo de plantio. Por exemplo, as culturas anuais, requerem adubos com boa solubilidade do solo e alta concentração de nutrientes;
  • Verifique se o adubo possui boa qualidade, boas características físicas e bom aspecto. Os melhores não têm muita poeira, são homogêneos, não têm empedramentos e contam com boa matéria-prima;  
  • Escolha o adubo não pelo preço, mas sim pela concentração de nutrientes. Olhe na embalagem a concentração de nitrogênio, fósforo e potássio ou observe o laudo de concentração de nutrientes; 
  • Adubo com baixa solubilidade, não disponibiliza nutrientes com rapidez, eles demoram muito a liberar, especialmente o fósforo e o potássio no solo. Isso não é legal para culturas anuais como o cultivo de soja, feijão, milho; 

Portanto, esta é mais uma dica relevante, leve em consideração o ciclo da planta, um adubo orgânico nem sempre é o ideal para culturas de ciclo curto; 

  • Observe se o adubo tem alto teor de elemento tóxico. Um exemplo é o pó de rocha que pode conter alumínio. A saturação de alumínio é prejudicial às plantas, ao solo e à água, visto que contamina o meio. Observando o laudo de concentração de nutrientes você saberá se tem ou não alumínio.
  • Leve em consideração seu tipo de cultura e verifique se a adubação usada está trazendo resultados, pois cada cultura agrícola responde a um determinado tipo de adubo. Adubar jabuticabas não é a mesma coisa, por exemplo, que adubar milho ou feijão;
  • Busque revendedores e lojas de agricultura de excelência para adquirir seu adubo e que te permitam fazer comparações e escolher entre vários tipos. Um exemplo de qualidade é o Marketplace agro2bussiness, onde você encontra adubos das melhores categorias, e ainda tem equipe de atendimento e suporte técnico especializado à disposição, para tirar todas as dúvidas. 

Como utilizar?

O adubo orgânico existe em vários tipos, além de ser produzido por compostagem ainda há alguns tipos matéria orgânica em decomposição que podem ser utilizados em sua forma natural. 

Temos como exemplo o esterco, a grama morta, minhocas, etc. Sendo assim, o modo de usar o adubo pode variar conforme o seu tipo. Veja como usar alguns adubos orgânicos: 

  • Compostagem- A compostagem é realizada conforme já explicado acima. Após o adubo pronto pode ser usado em vasos de plantas, na horta, em jardins e pequenas plantações.
  • Estrume ou esterco- São excrementos de animais herbívoros. Para usar como adubo basta coletar e ir aglomerando em um espaço no chão, em local que não chova, revirando de 3 em 3 dias. Após 1 mês pode utilizá-lo na horta, em plantas de vaso, jardins, e em cultivos menores.  
  • Húmus de minhoca- Para produzi-lo é preciso a criação de minhocário, com minhocas, terra e restos orgânicos. O húmus de minhoca é ótimo fertilizante para qualquer tipo de plantação.  
  • Grama depois de cortada- Pode ser usada como cobertura morta, ou seja, colocada sobre o solo para servir de fonte de nutrientes para gramados novos, hortas e jardins. 

Adubo para pastagens

O adubo para pastagens pode ser de origem orgânica ou mineral. O que é produzido a partir de fontes orgânicas, possui em sua composição itens como esterco, mamona, algas, etc. Apesar de ser um bom adubo, não conta com alta concentração de nutrientes, sendo sua liberação mais lenta.

O adubo para pastagens produzido a partir de fontes minerais é um tipo de fertilizante químico, ele é produzido industrialmente por meio de processos químicos ou físico-químicos. Este adubo conta com nutrientes como nitrogênio, enxofre, fósforo e potássio.  

O uso de adubo para pastagens tem trazido muitos benefícios à pecuária, otimizando os pastos e fornecendo nutrientes em defasagem nestes. 

Conclusão

Adubo orgânico é a grande pedida da agricultura. Elaborado de forma natural, por meio da compostagem e sem demandar gastos, tem sido a salvação de muitos pequenos agricultores. 

Sua utilização traz muitos benefícios aos produtores rurais e aos pequenos plantadores, que desejam cultivar hortas e plantios menores. Mas auxilia também a pecuária, por sua atuação nas pastagens.

Com o adubo orgânico os nutrientes em escassez no solo, são repostos, favorecendo a plantação. E apesar dos muitos tipos que existem, todos possuem a mesma funcionalidade dos fertilizantes químicos, que são conhecidos por adubos inorgânicos. 

O adubo orgânico tem se tornado cada dia mais essencial para as lavouras. E atualmente ainda há a praticidade de encontrá-lo pronto. Os vários tipos podem ser adquiridos já preparados para uso em uma marketplace como a agro2bussiness.

Quem ainda não experimentou está perdendo a chance de produzir mais e melhor, com plantios de qualidade para atender a grande demanda atual. 

E então, gostou do conteúdo? Compartilhe! Se ficou com alguma dúvida, deixe nos comentários.

O que você achou deste conteúdo?

guest
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Artigos relacionados

Ração para gado
Por Agro2Business
4 de jan de 2023
Nenhum comentário
Gado
Por Agro2Business
15 de dez de 2022
Nenhum comentário
Bois
Por Agro2Business
30 de nov de 2022
Nenhum comentário
magnifiercrosschevron-down