27 de mar de 2020

Porto de Paranaguá embarca nova carga de DDGs

Terminais paranaenses concluíram no último dia 18 de março, pelo Corredor de Exportação de Paranaguá, o segundo carregamento de DDGS, um coproduto do processamento do milho para a fabricação de etanol – o que sobra do grão. O primeiro embarque aconteceu em dezembro no porto paranaense de forma inédita do País. Para esta nova operação, ajustes garantiram mais agilidade e produtividade. Oriundo das sobras do milho, que é processado para fabricação de etanol, o DDG tem elevado valor proteico, sendo usado na alimentação animal.

O navio M.Emir Aksoy atracou no berço 213, no início da noite de domingo (16). A embarcação começou a ser carregada logo em seguida, passou a segunda-feira em operação e deixou o Porto de Paranaguá na terça (18), por volta das 12h30. O período de embarque não ultrapassou dois dias, quase três a menos que na primeira vez, apesar da quantidade do produto ser um pouco maior.

“Como era uma carga nova, não tínhamos noção, no primeiro embarque, de como se comportaria, como seria a produção”, explica o chefe da Divisão de Silos da Portos do Paraná, Gilmar Francener.

Segundo ele, após essa primeira experiência, o terminal responsável (Cimbessul) fez algumas mudanças operacionais. “Eles dividiram a carga desse segundo navio em dois terminais. Foram embarcadas 28.750 toneladas, sendo 14.187 carregados pela Centro Sul e 14.563 da Cimbessul”, disse Francener. 

O representante da Diretoria de Operações acrescentou que a medida garantiu mais produtividade, já que o carregamento foi feito com dois shiploaders (carregadores) simultaneamente. Os equipamentos transportaram a carga dos dois terminais, enchendo, ao mesmo tempo, dois dos quatro porões totais do navio. 

PRÓXIMOS – Novos embarques do produto devem acontecer ao longo do ano. “A expectativa é grande. Novas fábricas de etanol de milho estão previstas. Então, a demanda será cada vez maior e, segundo os terminais, são altas as perspectivas de novos embarques por aqui”, comenta Francener. Um terceiro embarque deve acontecer ainda neste primeiro trimestre, ainda sem data prevista. 

O Porto de Paranaguá embarcou a primeira carga de “farelo” de milho (DDGs) no final de dezembro. Foram quase 26 mil toneladas levadas para a Inglaterra pelo navio Interlink Acuity. O carregamento aconteceu no berço 212, no Corredor de Exportação. O lote foi carregado apenas no terminal da Cimbessul. Por isso, apenas um shiploader foi utilizado na operação. 

O produto embarcado foi produzido em Sinop, no Mato Grosso, pela Inpasa Agroindustrial S.A. No País, a empresa chega a processar 3,6 mil toneladas de milho por dia, produzindo 1,5 milhão de litros de etanol e mil toneladas de DDGS diariamente. 

Para saber mais sobre ddgs de milho acesse: http://e-revista.unioeste.br/index.php/scientiaagraria/article/view/16114https://www.canalrural.com.br/noticias/ddg-milho-podera-competir-com-farelo-soja-para-nutricao-animal-26979/https://www.portaldbo.com.br/ddg-como-fonte-proteica-para-dietas-a-pasto/

*Se a sua atividade agropecuária gera resíduos e subprodutos amplie o seu canal de comercialização com a Agro2business e monetize melhor suas vendas. *Por outro lado, se o seu negócio utiliza como matérias-primas resíduos e subprodutos de origem agropecuária encontre na Agro2business uma ampla oferta de itens e fornecedores confiáveis para o seu negócio.

Tem necessidade de compra ou venda de ddg de milho? Fale conosco, clique aqui para entrar em contato.

O que você achou deste conteúdo?

guest
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Artigos relacionados

subproduto-milho
Por Agro2Business
9 de jul de 2022
Nenhum comentário
farelo-soja
Por Agro2Business
2 de jun de 2022
Nenhum comentário
fontes-alternativas-nutricao
Por Agro2Business
27 de maio de 2022
Nenhum comentário
magnifiercrosschevron-down