4 de fev de 2021

Resíduos de cervejaria podem integrar alimentação de bovinos

Alternativa ainda tem a vantagem de não sofrer influência por sazonalidade, já que a produção ocorre ao longo de todo o ano

A utilização de resíduos e subprodutos agroindustriais têm desempenhado um papel importante na agropecuária brasileira, como, por exemplo, na alimentação de animais. Essa reutilização gera economia e sustentabilidade.

Porém, um dos fatores que muitas vezes limita a utilização desses resíduos é a sazonalidade, o que não acontece no caso de resíduos da indústria cervejeira, já que sua produção ocorre ao longo de todo o ano.

Alguns componentes básicos da cerveja - como cevada e o lúpulo, por exemplo - podem retornar ao campo na forma de concentrados protéicos, sendo destinados à alimentação de ruminantes. 

Na natureza, esses resíduos podem ser poluentes se descartados diretamente no meio ambiente. Assim, o reaproveitamento desses subprodutos de cervejarias pode, além de ajudar na dieta do gado, reduzir problemas de poluição e os custos do produtor.

Resíduo de cervejaria e alimentação de bovinos

Além da cevada, a produção de cerveja no Brasil, muitas vezes, utiliza também cereais como o milho. Por muito tempo, a produção de bebidas como a cerveja provocava problemas pela falta de um destino correto para o descarte dos resíduos gerados por esta indústria. 

Assim, uma boa solução foi a destinação do resíduo para servir como fonte de alimento para animais. 

O resíduo de cervejaria pode ser definido como a massa que resulta da aglutinação da casca da cevada com os resíduos do processo de mosturação (que é a extração do mosto para posterior fermentação). Dessa forma, o resultado final pode, inclusive, apresentar maior concentração de proteína e carboidrato do que os cereais inteiros.

Dentre as principais vantagens da utilização destes resíduos podemos destacar a concentração de proteínas, com até 26% na matéria seca, e a alta palatabilidade. Devido a boa palatabilidade, o resíduo é ideal para ser oferecido em conjunto com outros alimentos, já que sua consistência pastosa acaba facilitando a ingestão dos alimentos.

A inclusão do resíduo de cervejaria, tanto seco quanto úmido, também pode substituir o milho na dieta dos animais, sem prejudicar o ganho de peso.

 Porém, no caso do resíduo úmido, um fator que pode prejudicar o alimento é o seu armazenamento. Por ter baixos valores de massa seca, acaba sendo difícil o seu transporte e armazenamento; e estes fatores devem ser levados em conta para que o produto tenha boa durabilidade.

Uma boa opção para facilitar o armazenamento é misturar o resíduo com produtos fibrosos secos, como os resíduos de soja, aveia ou forragens picadas.

Vale citar que , mesmo com uma boa armazenagem, os grãos da cevada podem facilitar o desenvolvimento de bactérias e fungos. Por isso, o resíduo deve ser utilizado o mais breve possível após o seu recebimento para evitar perdas e problemas futuros.

Por Mayk Alves é fundador do Portal Vida no Campo e Agro20.

Neto de lavradores, sempre esteve envolvido com as atividades do campo e tem por missão disponibilizar informações sobre o mundo do agronegócio de maneira objetiva e dinâmica.

O que você achou deste conteúdo?

guest
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Artigos relacionados

subproduto-milho
Por Agro2Business
9 de jul de 2022
Nenhum comentário
farelo-soja
Por Agro2Business
2 de jun de 2022
Nenhum comentário
fontes-alternativas-nutricao
Por Agro2Business
27 de maio de 2022
Nenhum comentário
magnifiercrosschevron-down