30 de nov de 2022

O que é Sal Proteinado e para que serve?

O Sal proteinado não faz parte da rotina alimentar do rebanho do Sr. Miguel Sanchez. Dessa forma, o tempo da estiagem é sempre cercado de dificuldades em sua propriedade.  Os problemas afetam tanto o gado de corte, quanto o gado leiteiro. Com um volumoso ineficiente e incapaz de suprir as necessidades nutritivas, os bois perdem peso e a produção de leite começa a decair.

O Sr. Sanchez tem muitas dúvidas a respeito de suplementos, por isso deixa de oferecê-los a seu gado. Ele fica na espera, sempre achando que o pasto vai dar conta do recado. Mas, não precisa ser assim. Se você vive uma situação como essa, e deseja mais informações sobre isso, podemos ajudá-lo.

Aqui neste post estão as melhores informações, com detalhes, sobre o sal proteinado. Portanto, se quer saber como é composto, sua função e qual seu impacto positivo no período da seca, continue com a gente. Descubra também as vantagens, como deve ser oferecido e em que ocasiões.

O que é Sal Proteinado?

O sal proteinado é uma composição alimentar para animais. Ele dá vida a um suplemento indispensável para a melhora na aquisição de proteínas, no tempo da seca. É formado pela combinação de sal mineral, mais nutrientes que são adicionados a ele. 

Esta associação forma uma mistura que garante ao gado um elevado aporte proteico. Desse modo torna-se indispensável para a alimentação bovina nos dias de seca. Esta é muitas vezes rigorosa em países tropicais como a nossa terra.

Nestes casos, o suplemento de sal proteinado é o aliado certo para o pecuarista que pretende ter um rebanho saudável. Quem quer ver diferença na balança e deseja resultados de sucesso vem apostando nesse tipo de alternativa. 

Não há dúvidas de que se trata de suplementação que cobre muitas necessidades do gado, especialmente na ausência de chuva, quando a forragem está ressequida e não contém taxas de proteína acima de 6%.

Este sal enriquecido é também conhecido como mistura múltipla. Seu uso é mais comum para o gado de corte, mas pode ser empregado também em vacas leiteiras. Seja qual for o caso, a utilização desta estratégia irá incrementar a alimentação desses animais, quando o pasto não dá conta do recado.

Categorias de Sal Proteinado

Há muito que a tecnologia aplicada à nutrição animal ajuda os pecuaristas do Brasil. Um importante aliado é o sal proteinado. Ele está presente no mercado em categorias diferentes. Há o sal proteinado e existe também o sal proteico energético.

Muita gente confunde os dois tipos, especialmente porque possuem composição similar. Ambos formam uma mistura que inclui proteína verdadeira e sal mineral. No entanto, cada um deles possui suas próprias singularidades que definem sua função e uso.

Diferenças entre sal proteinado e sal proteico energético

O sal proteinado deve ser utilizado, especialmente, nos períodos de seca, quando o pasto não retorna níveis suficientes de proteína. A ausência de chuvas provoca uma estiagem que empobrece as pastagens. Portanto, é preciso suplementar a alimentação para que o gado não perca peso.

No entanto, ao contrário do que muitos criadores pensam, este tratamento nutricional suplementar não deve ser interrompido na temporada das águas. Este é um período propício para que o gado ganhe peso. Mas, como fazer isso?

A ciência da nutrição animal já descobriu a resposta e aponta uma alternativa estratégica. No período das chuvas, mesmo com as pastagens fartas e de qualidade é preciso suplementar. É aí que você entra com o sal proteico energético. Com ele seu gado se desenvolve e pode ganhar até 200g/animal por dia, conforme informações da Embrapa.

Tanto o sal proteinado quanto o sal proteico energético são grandes colaboradores do pecuarista. Para obtenção de bons resultados é preciso manter um equilíbrio utilizando um no período da seca e outro no tempo das águas.  

Como você acabou de ler há categorias diversas de proteinados. Além do sal proteinado, existe a mistura conhecida como sal proteico energético. Mas, o que você talvez não tenha percebido é qual a diferença que ocorre na composição deles.

Por isso, esclarecemos que apesar dos ingredientes básicos serem os mesmos, há diferença no percentual de alguns componentes.  Por exemplo, o sal proteinado difere do sal proteico energético pela quantidade de proteína verdadeira, que é menor do que o percentual de milho triturado, no sal proteico energético.

Em resumo, para assegurar mais energia é oferecido o sal proteico energético que irá fazer o gado comer melhor e ganhar mais peso no tempo das águas. Essa mistura precisa conter maior quantidade de ingrediente energético e menor quantidade de proteína verdadeira. 

Composição básica do Sal Proteinado e importância dos componentes

O sal proteinado é um suplemento animal que pode ser servido para acrescentar ao volumoso diário um máximo valor proteico, sem deixar de fornecer energia.

Para cumprir essa função, a mistura é enriquecida com cereais que são fonte de proteínas verdadeiras, como por exemplo:  farelo de algodão, ou de soja, e/ou ureia (NNP-Nitrogênio não proteico), com aditivos. Também são acrescentados elementos que são fonte energética, como o milho e o sorgo.

Entre os ingredientes básicos que compõem essa suplementação estão incluídos:

  • O sal mineral

Importância: É essência mineral rica em cloro e sódio. Mas, não só, pois, também fornece cálcio, fósforo, zinco, cobalto, enxofre, cobre, iodo, cobalto, selênio.

A aquisição destes minerais auxilia no balanceamento do organismo bovino. Sem falar que ajuda a otimizar a digestão e contribui para suprir o déficit nutricional dos pastos de regiões tropicais.

Um exemplo do balanceamento de minerais viabilizado por esse sal é o equilíbrio entre sódio e potássio. Em pastagens tropicais, como as que ocorrem nas regiões brasileiras, o gado consome alto teor de potássio.

Este fato implica na necessidade de aquisição do sódio, para que os dois minerais se mantenham em concentrações ideais. Esta carência é suprida por meio do sal mineral.

Sendo assim, o pasto e o uso do sal se unem para promover o funcionamento perfeito do organismo bovino.

Além do sal mineral, outros ingredientes constituem o sal proteinado:

  • Milho triturado

Importância: É a fonte de energia mais utilizada na nutrição de bovinos. O milho triturado contém alta concentração energética e valor nutritivo excepcional.  Trata-se de ingrediente que concede níveis ótimos de energia que estimulam a liberação de proteína verdadeira.  

  •  Farelo de soja ou algodão

Importância: São componentes que são fontes de proteínas verdadeiras. Sua presença maximiza a qualidade proteica da mistura.

  • NNP- Nitrogênio não proteico (Ureia) + sulfato de amônio

A importância da ureia é evidente. Sua missão enquanto integrante do sal proteinado é conceder melhora no aproveitamento do pasto de baixa qualidade.

Principalmente no período de seca as forragens estão muito secas, fibrosas e com baixo teor proteico. Neste estado não conseguem assegurar a atuação das bactérias celulolíticas, ou seja, que digerem celulose para que a energia seja gerada.

Com uma taxa de proteínas abaixo de 6%, o pasto se torna insuficiente para dar conta da sobrevivência das bactérias que digerem a fibra do capim e retornam energia para os bois. A ureia atua fornecendo uma carga de nitrogênio necessária para que esses microrganismos cumpram seu papel.

Ela impulsiona as bactérias a digerirem melhor o capim, permitindo máxima sintetização de proteínas. Isto potencializa a nutrição dos bois. Em resumo, pode-se dizer que a ureia é convertida pelas bactérias do rúmen, em proteína.

  • Sal branco convencional

Importância: Fornecimento do cloreto de sódio, alguma porção de iodo e outros minerais indispensáveis à saúde animal. 

Outra função do sal comum é limitar a ingestão da mistura. E isso mantém os níveis de ureia ingeridos, dentro da normalidade, evitando a toxicidade.

Por que usar Sal Proteinado e quais as vantagens?

Falar sobre a importância de usar o sal proteinado nos remete à história dos proteinados. Esta começou quando o setor pecuário se deu conta de que precisava de maior eficácia na criação do gado de corte e de leite. 

Para isso precisavam resolver muitos problemas, inclusive a questão da nutrição, baixa em proteína nos períodos de seca.

Os múltiplos motivos para o desencadeamento de pesquisas e estudos na área são óbvios. Almejava-se uma meta que assegurasse a lucratividade e manutenção do empreendimento pecuário.  Para isso era fundamental apostar em pontos como:

  • A saúde nutricional dos bovinos;
  • Um melhor e mais curto ciclo de reprodução;
  • Redução do tempo de abate;
  • Produção leiteira mais intensiva, entre outros aspectos. 

Outro bom motivo para a busca de melhorias na pecuária é o fato de o Brasil estar em segundo lugar no ranking dos maiores produtores de carne bovina do mundo, conforme dados da Statista. Afinal, não queremos perder essa posição!

A produção brasileira alcançou 10,4 milhões de toneladas em 2021. Além da 2ª posição no ranking, nosso país também conquistou ótimo posicionamento entre os maiores exportadores de carne de boi.

Esta estatística estimula a busca por melhorias no âmbito da pecuária e intensifica a excelência na criação bovina. A priori, esses números estabeleceram um novo contexto na criação e manutenção do gado de corte e leiteiro. A ineficiência na reprodução e o abatimento fora dos padrões estabelecidos, ou seja, além de 30 a 36 meses, ficam fora de questão.

Neste contexto, o sal proteinado ganhou força. Como suplemento capaz de suprir a deficiência das pastagens na seca, a mistura elevou a produtividade pecuária. Sua importância está, principalmente, no fato de superar o desafio da sazonalidade, reduzindo o impacto causado pela ausência de chuvas.

Sendo assim, o uso do sal proteinado possibilita manter o valor nutritivo na alimentação, mesmo com as gramíneas forrageiras escassas e com baixo teor de proteínas. Eis o porquê da utilização desse proteinado ter ganho tanta popularidade.

Aliado a outros cuidados importantes, o sal proteinado é o suplemento que pode evitar a desnutrição, a baixa na reprodução e a perda de peso do gado, no período da escassez de águas.

Tudo isso, nos deixa a certeza de que seu uso é importante. Não restam dúvidas de que sua utilização traz muitos benefícios. Veja as principais vantagens no tópico abaixo.

Quais as vantagens de usar sal Proteinado?

Entre as mais notórias vantagens podemos destacar algumas, como por exemplo:

  • O alto teor de nutrientes que é oferecido ao gado;
  • O fato de evitar períodos de improdutividade;
  • A otimização do aproveitamento de outros nutrientes;
  • A redução da idade de abate;
  • A garantia de maior ganho de peso;
  • Aumento na produção leiteira, assegurado até nos períodos de seca;
  • Sua utilização contribui para melhores resultados, tanto com gado leiteiro quanto com o de corte;
  • Evita o déficit mineral;
  • Colabora com a aquisição de vitaminas A e E, entre outras vantagens.
  • Evita a desnutrição;
  • Contribui para o desmame precoce;
  • Não é valoroso apenas nas secas, também pode ser oferecido no período das águas.

Informações importantes

Alguns cuidados importantes são necessários na utilização do sal proteinado. Certamente que você vai querer obter o máximo de resultados ao lançar mão dessa alternativa, não é?

Portanto, veja nossas dicas e atente para algumas informações legais que podem ajudar a alcançar os melhores rendimentos.

  1. Se você vai servir sal proteinado a seu gado, pela primeira vez, lembre-se de propiciar um período de adaptação. Antes de fazer uso contínuo, experimente oferecer pequenas porções. E pouco a pouco alcance o consumo ideal. 
  2. Bons resultados são bem-vindos, mas fique esperto, pois o sucesso dessa estratégia não depende apenas do sal proteinado. É preciso fornecer pasto com disponibilidade de capim. Este é indispensável, mesmo que este esteja seco e pobre em proteínas, como acontece na época da seca.

Proporcionar a pastagem é uma condição para que o suplemento aja no organismo bovino e forneça os nutrientes necessários. Saiba que o sal proteinado não substitui o capim, ele o complementa aumentando as possibilidades de obtenção de nutrientes importantes. Portanto, ofereça pasto, na seca, com o capim seco, e nos períodos das águas com o capim verdinho.

  1. Observe se há boa oferta de água e de cocho. Este último precisa estar protegido das chuvas, ou seja, deve ser cocho coberto. 

Você sabia que o cocho descoberto pode trazer prejuízos a seu gado? Sim, pois quando chove e o cocho contendo sal proteinado fica alagado, a ureia contida na mistura fica concentrada na água empoçada no cocho. 

Os bois podem então ingerir grande quantidade de ureia, que é tóxica em teores elevados. Por isso, o uso de sal proteinado exige um cocho coberto.

  1. Um espaço adequado de cocho também importa e deve ser disponibilizado. Para facilitar o consumo é bom proporcionar comprimento linear entre 8cm e 10cm por animal.
  2.  Uma boa dica é preocupar-se com os demais aspectos da criação do gado. Saiba que não adianta apenas servir suplemento proteinado. É preciso cuidar das instalações, do cocho, das condições para oferta de água limpa, do controle de temperatura e vacinas para evitar o surgimento de doenças.

Não espere que o sal proteinado faça sozinho a mágica do crescimento do gado. Ele é um reforço que favorece o ganho de peso, a produtividade e a saúde dos bois. Ele agrega valor nutritivo, mas sem os cuidados essenciais, os bons resultados não chegam.

Como servir?

O sal proteinado é um suplemento indicado tanto para gado de corte quanto para o leiteiro. Seu uso é bastante relevante no período de seca, quando somente o pasto não basta para assegurar o teor de proteína necessária aos animais.

A pobreza de proteínas que as forragens carregam no decorrer da estiagem, fazem com que a alimentação seja ineficaz. Desse modo os nutrientes proteicos e energéticos não atingem os níveis adequados. Por isso, o consumo de sal proteinado é uma questão bem importante. Um ponto de atenção é a quantidade a ser servida.

A Embrapa sugere o nível de fornecimento de 1 grama por kg de peso vivo/animal por dia. Sendo assim, por exemplo, um animal de 300 kg deve consumir 300 gramas de sal proteinado por dia.

A constância de uso também é aspecto relevante. O ideal é servir o sal proteinado frequentemente, de preferência, sempre no mesmo horário. A Embrapa recomenda o horário entre 11h e 14h.

Melhor fazer ou comprar?

O sal proteinado retorna muitos benefícios, conforme já te falamos aqui. Porém, para introduzi-lo e obter lucratividade é preciso que seja viável financeiramente.

Certamente, você concorda que o custo-benefício precisa ser positivo. Na verdade, o melhor é que o ganho em peso dos animais, possa compensar as despesas com o proteinado.

A suplementação é um investimento que precisa trazer resultados de excelência e bom retorno lucrativo. Sem isso, a estratégia perde o sentido. Portanto, é necessário analisar bem e escolher o melhor modo de adquirir esse suplemento. 

Saiba que o sal proteinado pode ser produzido em seu ßsítio ou fazenda, por você mesmo. Existem muitas receitas disponíveis na Internet.

Por certo que há vantagens em prepará-lo você mesmo, mas não deixe de refletir também nas desvantagens e riscos que isso implica. Portanto, reflita antes de tomar sua decisão.

Vantagens em preparar o sal proteinado em sua propriedade

A principal vantagem é o barateamento do custo do suplemento.

Desvantagens em preparar o sal proteinado em sua propriedade

Os fatores de complicação, neste caso, são:

  • A preocupação com a escolha de produtos de qualidade;
  • A precisão das quantidades da mistura, que precisam estar corretas;
  • O embaraço de não acertar na confecção do suplemento.
  • Também pode haver certa dificuldade no armazenamento, ao contrário do sal proteinado comprado. 

Este já vem em sacas adequadas que asseguram a proteção do produto. Além disso, podem ser facilmente empilhadas para serem guardadas devidamente.

Muitos pecuaristas assumem todo o risco e fazem seus próprios proteinados. Porém, isso também implica em gastos, pois será necessário adquirir cada ingrediente, assumir despesas com embalagens para armazenamento, entre outros pontos.

Como fazer sal proteinado para gado

Para a preparação do sal proteinado você precisará adquirir os ingredientes. Temos aqui abaixo uma receita básica de sal proteinado. Veja a tabela com os elementos que compõem a mistura e suas funções.

ComponentesQuantidade em quilogramaFunção na mistura
Milho Farelo ou fubá20 kgFornecimento de energia
Soja (farelo)30 KGFornecimento de proteína verdadeira
Sal mineral20kgConcede à mistura os minerais essenciais ao organismo animal
Sal comum17kgContribui com cloreto de sódio
Ureia12 kgConcede NNP- nitrogênio não proteico para favorecer a síntese de proteínas no rúmen.
Sulfato de amônio1kgAumentar a eficácia da ureia e manter a relação entre nitrogênio e enxofre.

Para a elaboração do produto, misture muito bem todos os componentes, de modo que a mistura fique bem homogênea.

Conforme já te informamos, você também pode comprar o sal proteinado pronto para uso. Em tabela acima podem ser constatadas as principais vantagens de adquirir o sal proteinado pronto.

Saiba que há muitas marcas de qualidade que oferecem o produto, assegurando componentes misturados em proporções perfeitamente precisas.

Além disso, o produto pronto conta com validade, fator que certifica o tempo correto de uso. Isto é mais um benefício, pois te ajuda a servir o produto sem problemas de degradação dos ingredientes.

Você pode conhecer excelentes marcas de sal proteinado pronto para uso. Mas também pode conhecer preços e mais detalhes sobre os produtos acessando a Agro2Business, um Marketplace especialista em nutrição animal. 

Conclusão

O sal proteinado é uma das melhores estratégias para superar o desafio da nutrição de bovinos e ganho de peso nos períodos de seca.

 Também conhecido como mistura múltipla, ele proporciona a engorda, mesmo com o consumo do capim seco e pobre em proteínas.

É bastante importante na aquisição de proteínas. O sal proteinado estimula as bactérias celulolíticas que digerem a celulose, durante o rúmen. Estas produzem fermentação e favorecem a liberação de proteínas para o gado.

Esse grande parceiro dos pecuaristas pode ser feito nas propriedades, mas também pode ser adquirido pronto, por preço que garante um bom custo-benefício.

 Agora você tem muita informação sobre o sal proteinado. Você gostou deste guia?  E se restou alguma dúvida, deixe nos comentários.  

O que você achou deste conteúdo?

guest
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Artigos relacionados

Adubo orgânico
Por Agro2Business
18 de jan de 2023
Nenhum comentário
Ração para gado
Por Agro2Business
4 de jan de 2023
Nenhum comentário
Gado
Por Agro2Business
15 de dez de 2022
Nenhum comentário
magnifiercrosschevron-down