4 de out de 2023

Tipos de ordenha: Manejo de animais na ordenha da vaca leiteira.

Os tipos de ordenha que existem, com certeza, não são desconhecidos para você, no entanto, dentro desse contexto, muitos aspectos de interesse talvez não estejam bem esclarecidos. Esta é, portanto, nossa proposta neste artigo. Queremos trazer muita informação sobre os modos de extração leiteira.

Sendo assim, este artigo explora os diferentes tipos de ordenha levando em conta desde a tradicional ordenha manual até as mais modernas e eficientes técnicas de ordenha mecânica convencional, sem esquecer a ordenha automatizada. 

Fique com a gente e conheça cada método, com suas características únicas e implicações na produção leiteira. Mas, antes de qualquer coisa entenda bem os diversos tipos de ordenha.

Quais são os tipos de ordenha?

Os tipos de ordenha podem ser classificados conforme o modo que são realizadas. Temos, portanto, a ordenha manual, a ordenha mecânica e a automatizada. Um aspecto a ser esclarecido é que os 3 modos de ordenhar são viáveis e bem aceitos, não interferindo com o nível de qualidade do leite. 

Explicando melhor, podemos dizer que a qualidade do leite não depende do modo como a vaca é ordenhada, mas sim do manejo sanitário, ou seja, se há ou não cuidados com a saúde animal, se há higiene e organização no procedimento. 

Sendo assim, o criador pode optar pela forma que lhe é mais conveniente, levando em conta suas condições financeiras para aquisição de ferramentas de ordenha, dependendo das instalações de que dispõe e até mesmo, conforme a quantidade de cabeças a serem ordenhadas na propriedade diariamente. 

Por tudo isso é que uma prévia organização e planejamento são bem-vindos. Para melhor entendimento, destacamos, abaixo, o procedimento dos vários tipos de ordenha. 

Ordenha manual

Entre os tipos de ordenha está a ordenha manual que já se define pelo nome. É o processo de retirar leite sem uso de equipamento mecânico. É realizada pelo ordenhador e este utiliza suas mãos no processo. 

Alguns instrumentos são necessários para a ordenha manual sendo estes: um banquinho para assegurar o melhor conforto do ordenhador, um balde que é utilizado para aparar o leite e corda para conter as pernas traseiras e rabo da vaca. 

Ordenha mecânica

A ordenha mecânica é feita com auxílio de equipamento mecânico que é acoplado ao úbere das vacas e retira o leite simulando o sugar da mamada do bezerro. Existem várias técnicas aplicadas à ordenha mecânica. Algumas mais comumente usadas estão destacadas em tópicos mais abaixo. 

Outros tipos de ordenha

Mas, não pense que os sistemas de ordenha não evoluíram com o passar dos tempos. A nova tecnologia assume seu papel também dentro do contexto da pecuária e apresenta inovações impressionantes nos tipos de ordenha. É por isso, que podemos te apontar 2 outros tipos de sistemas que extraem leite com excelência. 

Estamos nos referindo ao sistema de ordenha Carrossel e à Ordenha Robotizada. Ambos resultam das inovações tecnológicas na mecanização e automatização do serviço de ordenha. Conheça um pouco sobre eles: 

  • No tipo de ordenha feita com o sistema Carrossel as vacas são encaminhadas a uma plataforma circular que está dividida em baias individuais. Em cada compartimento equipado com instrumentos para ordenha mecânica, é colocada uma vaca. E ali o leite é extraído mecanicamente, sem uso direto das mãos do retireiro, tendo apenas a ajuda de 2 ou 3 ordenhadores.
  • Na ordenha Robotizada a extração é feita sem nenhuma manipulação humana. A responsabilidade do homem se restringe apenas a observar e analisar os dados no computador. Neste tipo de ordenha o leite é extraído por robôs, que executam toda a tarefa, desde encaminhar as vacas aos compartimentos de extração, até a liberação desta depois de ordenhada. Até mesmo a limpeza dos tetos é robotizada. 

Como é feita a ordenha mecânica?

O tipo de ordenha denominada mecânica é feita conforme já citado acima, com a utilização de equipamento mecanizado. Neste tipo de sistema o leite segue por uma tubulação para ser armazenado em um tanque refrigerado.

Existem vários modos de pôr em prática este tipo: Balde em pé ou canalizada. Esta última engloba técnicas que são definidas de acordo com a disposição das vacas na sala ou galpão de ordenha. São modos de ordenhar vacas que foram desenvolvidas para melhorar a eficiência do processo de retirada do leite. 

Técnicas aplicadas na ordenha mecânica

Entre os tipos de ordenha mecânica estão as técnicas descritas abaixo: 

Balde ao pé

É uma estratégia onde o leite é extraído por uma ordenhadeira a vácuo e é conduzido por meio de tubulação até um pequeno tanque, sendo depois transferido para refrigeração em um tanque próprio. É uma técnica bastante usada por pequenos criadores, que possuem rebanhos menores. É um recurso eficiente, prático e de baixo custo, que impulsionou o processo de ordenha de forma bastante significativa.         

Canalizada ou Circuito fechado, que pode ser: Espinha de peixe, Tandem, Lado a lado.

A ordenha mecânica canalizada conduz o leite diretamente ao tanque de refrigeração. A ordenhadeira suga o leite do úbere da vaca e o conduz, por meio de um sistema de tubos, até o tanque de refrigeração. Nesse modo de ordenha não há contato humano direto com o leite. 

Trata-se de estratégia muito usada, principalmente por criadores que contam com grandes rebanhos. Usando essa técnica há a possibilidade de ordenhar entre 28 e 30 vacas por hora, permitindo a retirada de grandes quantidades de leite, em pouco tempo.

Existem alguns modos diferenciados de realizar a ordenha mecânica canalizada. Estes variam conforme a disposição das vacas no salão de ordenha. Veja os mais comuns: 

Ordenha mecânica canalizada com técnica Espinha de Peixe

Esta técnica exige que as vacas estejam posicionadas junto ao fosso, em um ângulo de 33°, ou seja em posição diagonal, com o úbere direcionado para o fosso de ordenha. Este posicionamento é que deu origem ao nome da técnica, pois a formação tem angulação parecida com uma espinha de peixe. 

Ordenha mecânica canalizada com técnica Tandem

Neste tipo de ordenha as vacas ficam posicionadas, umas atrás das outras,( em fila indiana) paralelas ao fosso. Necessita de salão de ordenha mais comprido e com espaço suficiente para dispor os animais em fila. Sendo assim, não é uma técnica apropriada para rebanhos numerosos. Além disso, é preciso o manejo individual de cada vaca, pois, a entrada e a saída são individualizadas. 

Ordenha mecânica canalizada Lado a Lado

Na técnica de ordenha mecanizada lado a lado as vacas ficam em posição perpendicular ao fosso, dispostas lado a lado, ficando de costas para o fosso. Apesar da estratégia não exigir grande espaço, a posição desfavorece a visualização perfeita do úbere e dos tetos.

Outros tipos de ordenha: Sistema Carrossel e Ordenha Robotizada

Como já informado acima, existem mais tipos de ordenha, como por exemplo: a ordenha em carrossel, e a mais inovadora, que é a ordenha robotizada. Ambas são fruto dos avanços da tecnologia no campo da pecuária, mas ainda não são muito populares no Brasil, devido à complexidade das estruturas, que impõem um alto investimento. 

Tipo de ordenha carrossel: Entenda o que é.

Neste, as vacas são colocadas em uma plataforma circular giratória. A estrutura possibilita que sejam colocadas em compartimentos individuais e todas são ordenhadas ao mesmo tempo. Enquanto a plataforma gira com suavidade o leite é extraído e conduzido para tanques apropriados. 

Esse sistema permite a ordenha de vacas em conjunto, possibilitando a extração de leite em um conjunto de muitas vacas em minutos. Já existe sistema de carrossel capaz de atender plantéis até mesmo acima de 60 vacas.

Ordenha automatizada ou Robótica: Saiba como funciona 

Esta é uma técnica que utiliza computadores e robôs para a ordenha de leite. Neste tipo de ordenha até a condução das vacas é feita pelo robô. A vaca é atraída para a área de ordenha por meio da ração oferecida. Assim ela fica confortável e disposta a entrar. Ali é identificada por um chip de identificação. 

Para adotar a ordenha robótica é preciso que o produtor rural esteja muito bem estabelecido e que conte com boa estabilidade financeira. É uma técnica que exige custos elevados. 

Para a implantação é preciso adotar equipamento caro, adequar as instalações, contar com frequente assistência técnica e suporte de profissionais da área veterinária, especializados em ordenha robotizada, entre outros gastos. 

As maiores tendências na adoção de robôs para extração leiteira são encontradas na Europa. Oito entre dez propriedades francesas, espanholas e portuguesas já adotam o sistema de robotização na ordenha. No Brasil, apenas 1% das propriedades adotaram o sistema de robôs. Os pioneiros na aquisição do sistema são os criadores do Sul do Brasil.

O sistema de ordenha robotizada ainda caminha a passos comedidos em nosso país e não há fabricação de robôs nacionais, mas já contamos com o atendimento de 3 fabricantes europeias: a Lely, indústria holandesa, a GEA, fabricante alemã e a sueca DeLaval. São elas que atendem ao mercado pecuário brasileiro, portanto, os robôs são produtos importados.     

Equipamentos de ordenha

Os equipamentos utilizados para extração leiteira vão depender, naturalmente, do tipo de ordenha praticada em cada propriedade. Sendo assim, veja os instrumentos adotados, conforme o tipo de ordenha.

Equipamento para ordenha manual

Este é o tipo mais simples e mais tradicional de ordenha. Muito usado por pequenos criadores, que contam com poucas vacas em lactação. Para realizar o procedimento o ordenhador somente necessita de suas mãos, um balde, coador ou filtro, corda para conter as pernas e rabo da vaca, um banquinho e tanque de refrigeração. 

Equipamento para ordenha mecânica convencional

São utilizados instrumentos mecanizados. O conjunto de equipamentos inclui bomba de vácuo, regulador, reservatório, frasco sanitário, vacuômetro, tubulação de vácuo, entre outras partes.

Equipamento para ordenha em sistema carrossel

Para este tipo de ordenha o equipamento é mais sofisticado e vai incluir um carrossel giratório para ordenha, disposto em uma plataforma metálica, sobre pés de sustentação. 

Nesta plataforma estão gabinetes individuais, chamados também de pontos de ordenha. Uma plataforma pode ter de 24 a 84 pontos de ordenha. Cada ponto de ordenha ou gabinete separador possui um conjunto completo para ordenha.

Equipamento para ordenha robotizada

Um robô de ordenha robotizada é um mecanismo avançado, projetado para automatizar o processo de extração de leite. Ele possui componentes que respondem a todas as tarefas que fazem parte de uma ordenha e agregam muito mais, pois ainda realizam a higienização, monitoram a saúde e registram todos os dados necessários ao controle do fazendeiro. 

Alguns dispositivos desses robôs podem variar conforme o fabricante, no entanto, entre as principais partes que compõem um robô de ordenha robotizada estão: os braços robóticos, unidades de ordenha, dispositivos de identificação, sistema para alimentação e sistema para monitorar a saúde. Ainda há mecanismos para execução de limpeza e desinfecção.

Benefícios da ordenha de leite

Os proprietários de fazendas de leite devem dar muita importância para a ordenha, já que constitui o fator primordial para estabelecimento de seus ganhos. Por isso, é que a cada dia a ordenha ideal é mais procurada. Em geral, são muitos os benefícios que uma ordenha bem feita pode trazer, entre estes estão: 

Os benefícios econômicos 

  • Maior produção leiteira e consequentemente mais lucratividade;
  • Melhor saúde dos animais, pois uma ordenha bem feita implica em observar e cuidar da saúde das vacas leiteiras.
  • Menos custos com veterinários e fármacos;
  • Menos descarte de vacas ainda produtivas;
  • Aumento da produção de leite;

Benefícios nutricionais:

  • Produção de um leite de qualidade, sem risco de ser condenado na plataforma de laticínios;
  • Oferecer ao mercado um alimento de excelência, essencial para promover crescimento e saúde;

Benefícios de bem-estar animal

  • Uma ordenha organizada implica em vacas sem estresse e mais produtivas;
  • Ausência de problemas como contaminação e quartos mamários secos, devido a mastite.

Cuidados e boas práticas na hora da ordenha

Em qualquer tipo de ordenha adotada devem ser consideradas as normas e cuidados que levam às boas práticas do procedimento. 

Aqui, vamos citar algumas ações que asseguram a qualidade do leite, a segurança e a saúde das vacas. Veja se você concorda e nos fale, nos comentários, se é assim que você age em sua propriedade. 

Práticas de higiene na ordenha

Tanto na ordenha manual, na mecânica ou na automatizada uma série de providências precisam ser tomadas rotineiramente. São ações que ao serem praticadas trarão as melhores condições para a execução da extração de leite. Observe quais são.

1.Cuidados com as instalações

  • Sala de ordenha coberta, iluminada, ventilada e arejada; 
  • Piso antiderrapante;
  • Paredes e pisos devem ser limpos diariamente;
  • Tanque de refrigeração deve ser limpo imediatamente depois da coleta;
  • Limpe o local da ordenha retirando restos de esterco e lavando bem o espaço.

2. Ordenhador

  • Deve usar avental, boné, luvas e botas e precisa lavar mãos e braços com detergente, antes e durante a ordenha, sempre que necessário. 

3. Desinfecção das tetas

Deve ser feita pelo ordenhador, antes e depois da ordenha, quando a ordenha não é robotizada. Os tetos devem ser higienizados e secos. 

Bem-estar das vacas

  1. Cuidados na condução: Os animais devem ser conduzidos sem estresse, sem gritos ou alardes e agressões. Na ordenha robotizada, o próprio robô providencia isso. 
  2. Lembre-se de providenciar uma sala de espera confortável, com sombra e água à vontade.
  3. Na ordenha mecânica é preciso muito cuidado ao colocar as unidades de ordenha, ou teteiras, estas devem estar ajustadas corretamente para que os quartos mamários não sofram nenhuma lesão;
  4. Verificação da saúde das vacas: As vacas com mastite devem ser separadas das sadias, e ordenhadas por último. Nunca misture o leite das vacas doentes ao leite das vacas sadias, pois este não pode ser consumido. 
  5. Após a ordenha mantenha as vacas de pé, para impedir que microrganismos e sujeira penetrem nos orifícios dos tetos, que ainda permanecem abertos, por um bom tempo, após a extração. 
  6. Faça o teste de CMT ao menos 1 vez ao mês, antes da ordenha, para identificar se há mastite.

Qualidade do leite

  • Avalie o leite antes da ordenha: Na ordenha manual é imprescindível realizar o teste da caneca de fundo escuro, para observação do leite. Se este estiver com grumos, sangue ou outra alteração, a vaca pode estar doente. 
  • Na ordenha manual use balde meia lua ou semiaberto, para evitar a entrada de insetos e sujeira no leite ordenhado e não deixe de coar/filtrar o leite após a ordenha.

Conclusão

Os tipos de ordenha podem ser classificados em 3 sistemas: a ordenha manual, que é um método mais tradicional, onde o leite é extraído pelas mãos do ordenhador. 

A ordenha mecânica que se subdivide em várias técnicas como: Balde ao pé, canalizada que pode ser Espinha de peixe, Tandem, Lado a lado. Há também a ordenha em Carrossel, que utiliza uma plataforma giratória, e a ordenha automatizada onde a tarefa é realizada por robôs, sem intervenção humana.

Cada tipo de ordenha tem suas vantagens e desvantagens e a escolha depende das necessidades e recursos da fazenda leiteira. No entanto, vale acrescentar que a ordenha automatizada vem, aos poucos, conquistando popularidade, devido à sua eficiência e capacidade de melhorar o bem-estar das vacas e a qualidade do leite.

Você gostou do conteúdo? Se quer mais informações sobre pecuária e agronegócio acesse a Agro2business, uma plataforma inteira à disposição dos proprietários rurais, cooperativas, empresas, representantes e agroindústrias. 

Caso tenha alguma dúvida, deixe seu recado nos comentários e não se esqueça de compartilhar.

O que você achou deste conteúdo?

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Artigos relacionados

Mãos segurando grãos de soja - Farelo de soja
Por Agro2Business
9 de maio de 2024
2 Comentários
Gado
Por Agro2Business
13 de abr de 2024
2 Comentários
subproduto-cana
Por Agro2Business
30 de mar de 2024
Nenhum comentário
magnifiercrosschevron-down